Poema da Semana - Pablo Neruda

Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,
E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos…
E por amor
Serei… Serás… Seremos…


Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

4 comentários :

  1. Olá Francine,
    Que poema lindo, adorei.
    Não sou muito fã de poemas, e quase nunca eu consigo ler eles até o final, mas esse eu consegui (palmas para mim) rs
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pablo Neruda é demais né? Ah eu amo poemas, principalmente os do Mário Quintana, ele tem uma linguagem bem simples, você lê o poema e quando percebe, terminou.

      Bjs Bruna e obrigada pela visita =D

      Excluir
  2. Olá, lindo poema, adoreei! :D
    Eu nunca tinha sido muito de ler poemas e tal, mas ultimamente tenho me aventurado e acabei encontrando muitos poemas fantásticos;
    Beijos, Lerissa.
    lerissakunzler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lerissa!
      Eu amo poemas, fui fisgada por eles rs
      Bjos linda *-*

      Excluir