Destaques

Novafala | A Genialidade de George Orwell

novafala


Depois da resenha do livro 1984 resolvi abordar um tema que me intrigou e me fascinou no livro: A Novafala!

O que é a Novafala?
A Novafala é um novo idioma descrito no livro 1984 do autor George Orwell. Na obra o "O Núcleo do Partido", que é um grupo de pessoas que lideram o país, criaram e implantaram esse novo vocabulário. Uma nova língua que extinguiu palavras que poderiam levantar questionamentos contra a opressão do governo totalitarista. Após anos de transição do inglês para a novafala (newspeak), ela se tornou o idioma oficial dese novo mundo.

Por não existir palavras que pudessem  tornar possível o pensamento crítico e filosófico, os cidadãos se tornaram vulneráveis ao sistema e altamente manipuláveis, tendo o pensamento restringido. Formar uma frase sobre assuntos como: manipulação de massa e/ou direitos humanos era impossível, pois essas palavras não existiam. Portanto, a Novafala se tornou uma das fontes de poder de manipulação do Partido.

Palavras criadas na Novafala
PENSAMENTO-CRIME
Por mais que as pessoas não pudessem expressar em palavras o que sentiam, elas não deixavam de pensar nas condições precárias em que viviam e como poderia ser sua vida se tivessem alguns direitos garantidos, como o simples poder de escolha individual (inexistente em um governo totalitarista).
Então para que esses pensamentos fossem controlados, o núcleo do partido criou palavras para evitar que os cidadãos se rebelassem contra eles. 
Através da Novafala, eles puderam resumir em uma palavra o "ato" de pensar em direitos humanos, manipulação de massas, liberdade de expressão: PENSAMENTO-CRIME.
Parece surreal controlar o pensamento humano, mas na obra de Orwell isso acontece, tanto que no livro existe a Polícia das ideias (thinkpol), que é especializada em detectar algum pensamento criminoso através das atitudes de seus cidadãos.

Um exemplo excelente de como a Novafala restringe o pensamento humano é a tentativa de tradução a declaração de independência dos Estados Unidos para esse novo idioma. Nesse caso uma única palavra traduziria todo texto: pensamento-crime.
Se analisarmos o trecho:

"...direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade..."

Veremos que uma tradução fiel não é possível, pois: liberdade; direitos; realização pessoal (felicidade) não existem nesse novo idioma. Por esse motivo pensamento-crime é o mais perto de uma tradução correta.

DUPLIPENSAMENTO
O Núcleo do Partido não criou novas palavras apenas para controlar possíveis rebeliões contra o sistema implantado. Eles também criaram palavras para justificar ações contraditórias, como o DUPLIPENSAMENTO, que é o ato de uma pessoa acreditar em duas crenças contraditórias, porém simultaneamente. É o que acontece com os ministérios:
  • O Ministério da Verdade é encarregado por modificar o passado, portanto ele cria mentiras.
  • O Ministério do Amor é encarregado por prisões e torturas, portanto ele está longe de praticar um ato de amor.
  • O Ministério da pujança trata da escassez dos alimentos, portanto é o oposto de algo próspero.

Ao ler o livro vemos que o duplipensar é propagado através do lema do Partido:

"Guerra é paz. Liberdade é escravidão. Ignorância é força."

Acredito que esse lema pode ter mais de uma interpretação, eis a minha:

Esse lema não foi implantado pelo Partido sem uma intenção direta, ao afirmar crenças contraditórias simultaneamente ele está pregando o duplipensamento. O Partido afirma que guerra é paz, assim como afirma que dois mais dois são cinco.
O lema do partido "cantado" aos quatro ventos prova o poder dele de dominar a formação do pensamento humano e qualquer forma de questionamento, por isso existe o criminterrupção, outra palavra criada na Novafala. O criminterrupção é a capacidade de uma pessoa parar, como por instinto, qualquer forma de pensamento "perigoso". É uma burrice protetora, ou seja, os membros do Partido acreditam realmente que dois mais dois são cinco, que liberdade é escravidão. Eles não só afirmam, acreditam em todas essas contradições e se em algum momento surgir uma dúvida, ela será descartada imediatamente pelo instinto protetor.
Acredito que a genialidade da obra do Orwell está nas entrelinhas, a Novafala é uma dessas genialidades.

Outras palavras da novafala:
  • Crimedeter - denúncia à crimideia.
  • Crimideia - agir contra o Partido. O acusado virava impessoa.
  • Impessoa - persona non grata. Os acusados de impessoa eram geralmente vaporizadosEliminados de todas as formas, inclusive dos arquivos.
  • Vaporizar - eliminar.
  • Plusbom - palavra típica para eliminar diversos adjetivos como ótimo, perfeito, etc.
  • Imbom - elimina a palavra mau. Exemplo clássico do idioma.

26 comentários:

  1. Não sei o que falar desse texto, pois mesmo após lê-lo duas vezes confesso que não o compreendi de forma alguma.
    Talvez seja por eu ser completamente leiga em assuntos de política ou por não conhecer a obra citada, mas não consegui absorver nada que pudesse ser compreendido nas frases aqui escritas.
    Mas creio que para quem conseguiu acompanhar seu raciocínio, deve ser um artigo interessante.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Gostei de ler seu texto, mas confesso que precisei ler mais de uma vez para conseguir compreender, pelo menos um pouco. Então, preciso afirmar que essa interpretação é bem complexa, ao mesmo tempo em que pode gerar uma boa discussão. Sobre a genialidade de Orwell, não tenho dúvidas de que podemos encontrar muito pelas entrelinhas.

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Achei seu texto curioso e bem interessante para quem conhece a obra e admira o autor. Acho até que quem não o conhece, se interessaria pelo George, ao ler suas considerações.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Sou o tipo de pessoa que não aceita ficar sem entender algo quando me explicam, li seu post, entendi por alto mas acho que nao compreendi de fato a mensagem, sabe? Mas acho que a causa disso é por não ter lido nada de George O. Não por falta de interesse, e sim porque nunca havia me apetecido, agora não há como fugir, preciso entender suas referencias!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Acho que o único livro que eu li do autor se eu não me engano foi a Revolução dos Bichos e adorei a escrita e genialidade dele.
    Ainda não conhecia esse livro é pela sua resenha deu a entender que é um livro complexo neh? No momento eu não leria mais quem sabe futuramente.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Nossa, eu estou lendo 1984 e seu post não poderia vir em melhor hora <3
    O livro é beeeeem complexo, tô demorando bastante pra ler e tentar entender tudo, e achei sua explicação sobre o lema do partido muito esclarecedor nesse última parágrafo.
    George Orwell é simplesmente genial!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  7. Oi. A genialidade de uma obra, para além da estética, também está no não-dito e Orwell é muito bom com isso, interessante é como ele é atemporal. Seu texto ficou interessante. Curioso você discorrer sobre o instinto protetor, estou lendo sobre a Sociedade do cansaço que traz algo sobre para retratar e violência neuronal.

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu ouvi falar do autor porque quero ler 1984, que me foi aconselhado! :) Uma distopeia em tempo de comunismo estalinista...

    Enfim, mais do que o livro em si, temos uma contextualização histórica, a mentalidade que predominava, a pressão, o Partido,... Parabéns pelo artigo!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Olá! confesso que fiquei meio confusa por não ter lido o livro o ainda, mas sempre ouço boas recomendações a respeito dele, gostaria de ler pois me interesso muito por assuntos políticos, não se tem a ver mas o fato dele criar palavras novas me lembrou muito o vocabulário nadsat de laranja mecânica.

    leiturasdebrain.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Confesso que não entendi muito bem seu texto, mesmo após ter lido algumas vezes. Acho que isso se deve pelo fato de eu nunca ter lido nenhuma obra do autor, apesar de concordar que ele é um gênio.
    Gostei de conhecer um pouco da Novafala e das palavras. Vou tentar ler algo do autor logo pois tenho a impressão que gostarei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Não li a obra em questão ainda, mas fiquei interessada em saber que há um novo idioma no livro, gosto quando os autores fazem esse tipo de coisa. Claro que no início é sempre confuso, mas depois nos acostumamos. Achei interessante seu post! Agora quero ler a obra mais ainda.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Achei sensacional esse seu texto. Estou vendo que várias pessoas ficaram confusas mas acho que é porque não leram o livro em questão então não sabem tudo o que vem por trás desse língua. Gostei das suas teorias, achei muito interessante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Agora fiquei assustada, pois boiei no texto, tendo que fazer uma releitura, não muito frutífera diga-se de passagem.
    Não li nada do Autor, e não sei se isso colabora para me sentir como um peixe fora da água. Pior é saber que meu filho vai ler A Revolução dos Bichos. Espero que ele entenda melhor o autor do que eu.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Eu nunca li nada do George Orwell ainda, pois nunca tive a oportunidade de comparar um livro dele, mas agora com seu post eu fiquei completamente louca para ler 1989, eu sempre gostei de livros distópicos com governos opressores e ditadores, mas quando vc falou que eles criam um novo idioma, a novafala, eu fiquei completamente fascinada.
    Eu tenho que admitir que tenho um certo medo dos livros de Orwell, pois todos dizem que ele nunca faz um final feliz, e eu não sou muito fã de finais tristes ou apertos, mesmo sabendo que nem tudo na vida termina em rosas.
    Obrigado por me deixar mais louca por essa leitura.
    Bjssssss

    ResponderExcluir
  15. Oie, confesso que não li a obra em questão, por isso, se não fosse pela sua introdução eu não entenderia muito bem o seu texto.
    Adorei a sua postagem, extremamente informativa e curiosa, uma vez que eu não tinha ideia desse novo "vocabulario"

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Que postagem mais legal!! Sabe, as distopias só começaram a bombar há pouco tempo e é quase uma lástima ver que muita gente não sabe que George escrevia isso há mais de 50 anos!!!
    E o engraçado é que podemos ver como o texto dele é atemporal, como o governo ainda tenta calar o povo de uma maneira ou de outra, podemos ver que a manipulação cria fantoches que repetem discursos prontos e pouco politizados.
    Será que nossa realidade é tão diferente dessa?
    Adorei a postagem!

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá Francine.
    Eu ainda não li esse livro, mas "A Revolução dos Bichos do mesmo autor".
    É uma postagem bem aprofundada das suas percepções do livro. acredito que depois de ler o livro voltarei aqui para me inteirar um pouco mais sobre o assunto.
    É assustador ver que muito que está neste livro de distopia pode ser observado nos dias atuais.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Oi Francine, adorei seu texto. Eu já li 1984 e sempre que me deparo com uma resenha ou algum texto sobre ele, volto a pensar em toda sua magnitude. De fato, o autor foi genial na criação da história. O Big Brother já existia muito antes de aparecer como programa de tv, e era muito mais sério e intrigante. Abraços

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não li nenhuma obra desse autor, mas tenho curiosidade e essa é uma das histórias dele que mais chamam a minha atenção. Eu não sabia sobre essa Novafala do livro e achei tudo muito interessante. Enfim, seu post ficou muito bem explicado e escrito.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    Como não li a obra do autor, fiquei perdida na postagem. Não que ela não foi explicativa, mas apenas de que eu preciso ler o livro para saber mais sobre o assunto que abordou.
    Vou anotar esse título, ainda não conehço nada do autor.
    Bjks
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  21. Ola,sempre tive vontade de ler algo desse autor,todo mundo fala tao bem e ele era super requisitado na biblioteca da escola que estudava,tanto que nunca consegui tirar ele
    o autor reaalmente foi brilhante em criar todo uma nova lingua

    ResponderExcluir
  22. Olá,
    Ainda não li a obra e também não tinha visto nenhuma resenha sobre ele até que fui procurar a sua.
    É uma obra bem complexa e aborda temas interessantes. Adorei o post com uma explanação maior sobre a Novafala e como foi essa transição para inserção do novo idioma.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Olá!!
    Nunca li nada do autor mas conheço por alto algumas de suas obras e por nunca ter lido nada dele tive um pouco de dificuldade em entender mais sobre o texto,e como não entendo nada de política assim como alguma das meninas aqui esse seja o motivo por seu texto ser tão complexo pra nós!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/11/titulo-quando-o-amor-bater-sua-porta.html

    ResponderExcluir
  24. Oii,
    Eu só me lembrava de "Revolução dos Bichos" quando via algo do George, até que eu vi 1984 na prateleira da biblioteca da escola, mas eu nunca cheguei a pegar e ler nenhuma obra do autora, talvez por não ter lido nenhuma obra dele fiquei meio perdidinho no post rs.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  25. A complexidade de Orwell me encanta.

    Primeiro contato que tive com ele foi no ensino médio. Apesar da pouca idade, me impressionei pelo conteúdo trazido na obra.

    Suas palavras estão bem dignas de Orwell. Amei as ressalvas feitas ao longo do texto.

    (:

    ResponderExcluir
  26. Olá, acho que ainda não li nada do autor, que vergonha, preciso mudar isso em breve.

    Abraços

    ResponderExcluir

Litera Cult | Blog Literário © Copyright 2017. Tecnologia do Blogger.