5 romances de época para se apaixonar



Olá pessoas!
Recentemente eu decidi ler livros que não fazem parte das minhas leituras rotineiras.
Achei que seria bom sair da minha zona de conforto.
Eu não sabia bem por onde começar, mas vi uma postagem sobre romances épicos e lá estava a resposta!

Li alguns romances de época e me surpreendi com alguns, me decepcionei com outros, mas isso é assunto para resenha ou quem sabe outro post...

Nessa minha meta pessoal eu descobri novos "queridinhos" e recordei leituras antigas do gênero que me fizeram suspirar, então decidi fazer uma pequena lista desses livros para vocês.

Espero que gostem e antes da listinha em si, uma breve definição do que é esse tal de romance de época:
O Romance de Época não se importa com datas e nem faz referências a fatos históricos importantes, ele se preocupa em mostrar como vivia e se comportava um povo em um determinado tempo. A maioria deles destaca a vida da sociedade londrina no período vitoriano, valorizando costumes como: moda, etiqueta social, passeios de charretes ou no campo, jantares, festas, teatros. A fragilidade da mulher, o casamento por conveniência, as amantes, a diferença entre as classes sociais, o valor de um título nobre...
Depois dessa breve explicação, vamos aos livros!

1. Grandes Esperanças - Charles Dickens


Por intermédio de seu tio, Pip consegue emprego na mansão na Miss Havisham como garoto de companhia; lá, conhece Estella, filha adotiva de Havisham, o advogado Mr. Jaggers, Herbert Pocket e outros parentes da velha senhorita. Ela o dispensa quando este ingressa na puberdade. A vida de Pip é radicalmente alterada, logo após Pip deixar os serviços de Miss Havisham, quando Mr. Jaggers o informa que um misterioso benfeitor anônimo financiará sua educação em Londres para torná-lo um cavalheiro e que este benfeitor deixará sua fortuna para Pip, que passa a contar então com grandes esperanças ou expectativas. Sua mudança para Londres, o esforço para tornar-se um cavalheiro, as grandes esperanças e certos dilemas morais tornam este romance de Dickens leitura inesquecível. 


Após abandonar a família para viver em Londres, Pip passa a desprezar sua vida anterior, tentando tornar-se digno de se casar com Estella, que, no entanto, não se interessa por seus sentimentos. O leque de temas abordados em “Grandes Esperanças” é amplo: além do crescimento, do amor não-correspondido e da ascensão social, há questões envolvendo a justiça, o racismo, a escravidão, o alcance do Império Britânico e a colonização. As “Grandes Esperanças” do título revelam a ironia e a maestria de Dickens ao narrar o desenvolvimento da história: ao mesmo tempo em que elas são o norte e o guia para o futuro do jovem Pip, transformam-se no elemento que o transformam no futuro. 



2. Jane Eyre - Charlotte Brontë


Jane Eyre é uma menina órfã que vive com sua tia, a sra. Reed, e seus primos, que sempre a maltratam. Até que, cansada do convívio forçado com a sobrinha de seu falecido esposo, a mulher envia Jane a um colégio para moças, onde ela cresce e se torna professora. Com o tempo, cresce nela a vontade de expandir seus horizontes. Ela põe um anúncio no jornal em busca de trabalho como governanta. O anúncio é respondido pela senhora Fairfax, e Jane parte do colégio para trabalhar em Thornfield Hall. Lá, ela conhece seu patrão, o sr. Rochester, um homem brusco e sombrio, por quem se apaixona. Mas um grande segredo do passado se interpõe entre eles.

3. Ligeiramente Casados - Mary Balogh



À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.

Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.

Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.

Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...


4. E o Vento Levou - Margaret Mitchell



E o vento levou, de Margaret Mitchell, traz a impressionante história da bela Scarlett O’Hara e de sua transformação de jovem impetuosa e mimada em mulher prática e disposta a tudo para conseguir o que deseja. Frustrada por não conseguir se casar com Ashley Wilkes, Scarlett acaba se envolvendo com o charmoso aventureiro Rhett Butler, com quem viverá uma das histórias de amor mais célebres e conturbadas da literatura. Mitchell descreve de maneira impressionante a Guerra Civil norte-americana e retrata as grandes mudanças que pavimentaram a história dos Estados Unidos e enterraram para sempre um estilo de vida.



5. Orgulho e Preconceito - Jane Austen



Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.

Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

4 comentários :

  1. Oi, Francine!
    Eu tenho Orgulho e Preconceito na minha estante tem um tempo, mas ainda não li.
    Sabia que tem uma adaptação recente de Grandes Esperanças?
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Hum...postagem maravilhosa! Eu sou louca para ler Orgulho e preconceito e também E o vento levou! <3
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, você não vai se arrepender! Esses livros são maravilhosos <3

      Excluir