10 livros distópicos que não podem faltar na sua estante


Heyyy leitores! O booklist de hoje é sobre um gênero que eu adoro: é a literatura distópica! Já fiz outros posts sobre distopia, que você pode conferir aqui, mas eu senti a necessidade de dar mais dicas para vocês desses livros que são puro amor.
Se você está querendo se aventurar nesse gênero literário, é só escolher um dos livros indicados, que eu separei com base na minha própria experiência e nas dicas de outros leitores.

Pequena definição de romance distópico:
Um romance distópico é assim aquele que descreve, por antecipação, engenharias sociais que, apoiadas em mecanismos de controlo dos pensamentos, comportamentos, e atitudes, dos seus membros, e em mecanismos de repressão da dissidência, garantem a unanimidade totalitária. A ação dos romances distópicos decorre frequentemente em tempos futuros e locais inexistentes, embora possam ter ligação a territórios presentes. São criados na maioria das vezes como avisos ou sátiras, tentando demonstrar como as atuais convenções sociais, e a exploração de conhecimentos científicos, extrapoladas aos limites, podem conduzir a sociedades castradoras dos indivíduos e da sua humanidade.


1. Laranja Mecânica | Anthony Burgess
Laranja mecânica é um livro escrito por Anthony Burgess. Ele é uma distopia clássica inquietante e brilhante. Conta a história de Alex, um jovem com sérios problemas comportamentais, junto com seus amigos ele aterroriza Londres, praticando roubos, estupros e espancamentos.
Os crimes de Alex são interrompidos quando é preso pela polícia e submetido a um novo tratamento, que promete regenerá-lo. Alex se torna menos que um ser-humano, incapaz de decidir sobre si mesmo e suas atitudes, além de se tornar um joguete nas mãos de políticos.
Anthony Burgess utilizou gírias ciganas, expressões eslavas e palavras rimadas para criar a linguagem Nadsat, que é composta por duzentas palavras. O livro foi traduzido para a nossa língua pelo escritor José Luandino Vieira.

2. 1984 | George Orwell
Após a terceira guerra mundial, o mundo foi dividido em três super potências: Oceânia, Eurásia e Lestásia.
1984 se passa na Oceânia, que é dividida hieraruicamente: Grande irmão, Núcleo do partido, Membros do partido e Proletas.
O líder da Oceânia é representado pela figura do Grande Irmão, porém quem governa o país é o Núcleo do Partido.

A Oceânia possui um regime totalitário, sendo assim os membros do Partido são vigiados 24 horas por dia através das teletelas.
Neste mundo opressor vive o protagonista Winston Smith, ele está insatisfeito com o seu modo de vida e passa a questionar o sistema, o protagonista começa a sua revolução íntima contra o partido.


3. Admirável Mundo Novo | Aldous Huxley
Admirável Mundo Novo é um dos grandes clássicos da literatura distópica, ele é questionador, intrigante e filosófico.
Aldous Huxley nos apresenta um mundo aparentemente perfeito, sem tristezas, sem guerras, sem doenças e sem medo, porém esse mundo aparentemente perfeito é desumanizado. 
Os cidadãos são condicionados desde o seu nascimento para se sentirem felizes e quando algo sai errado eles podem recorrer ao soma, uma droga sem efeitos colaterais que proporciona uma sensação de bem-estar.
4. Fahrenheit 451 | Ray Bradbury
O que você faria se vivesse em uma sociedade onde é proibido ter livros?
E o que você faria se todos os livros encontrados fossem incinerados? E os bombeiros fossem responsáveis por atear fogo em todos os livros?
Esse é o cenário do livro Fahrenheit 451.
Em uma sociedade alienada com um sistema totalitarista vive o bombeiro Montag. Seu trabalho é queimar livros.
Montag vive com a esposa, Mildred, uma mulher que vive em função de entretenimento, com telas enormes e uma espécie de família virtual.
A vida do protagonista toma um rumo diferente quando ele conhece Clarisse McClellan, sua vizinha. Ela é diferente das outras pessoas, possui pensamento crítico sobre a vida e é livre.
Montag se torna uma espécie de admirador e passa a questionar seu estilo de vida, ele passa a ter pensamento crítico, começa a pensar...
Isso faz com que sua vida tome outro rumo e suas escolhas e prioridades mudam.


5. Jogos Vorazes | Suzanne Collins
A História é ambientada em Panem que é dividida por uma Capital e 13 distritos. O distrito 13 não existe há 74 anos, foi extinto por causa da rebelião contra a Capital onde os distritos saíram perdedores.
Com a derrota os distritos assinaram o Tratado da Traição, esse tratado consiste em oferecer anualmente dois tributos, um rapaz e uma garota, entre 12 e 18 anos para lutarem em uma arena até que reste apenas um sobrevivente.
Esse evento é chamado de Jogos Vorazes.
Os Jogos Vorazes são televisionados vinte quatro horas por dia e todos os habitantes de Panem são obrigados a assistir.
Dentro desse cenário conhecemos Katniss Everdeen, uma jovem do Distrito 12. Sua vida desmorona quando sua irmã de 12 anos, Primrose Everdeen, é sorteada como tributo. Para salvar a irmã, Katniss se oferece como tributo.
Sendo um tributo, Katniss embarca para a Capital junto com Peeta, outro tributo do distrito 12, para entrevistas e "treinamentos" antes dos jogos começarem.
Após as entrevistas os 24 tributos vão para a arena para um jogo mortal.


6. Nós | Yevgeny Zamyatin
Muito mais do que uma obra política, Nós insurge como um corajoso ataque ao totalitarismo que com suas mãos de ferro viola os direitos individuais, cor rompe as relações humanas, usurpa a liberdade do livre-pensar e agir, destrói a criatividade e violenta a arte em nome de idéias equivocadas sobre um suposto bem comum. 
É ainda um grito em defesa da liberdade do homem; um alerta, para um perigo eminente: Cuidado! Querem fazer-nos acreditar na segurança da não-liberdade.


7. Silo | Hugh Howey
Em um mundo pós-apocalíptico uma sociedade resiste. Essa sociedade encontra uma nova forma de sobrevivência, o Silo.
A vida fora do Silo é impossível, pois o ar é tóxico e corrosivo, mata em questão de minutos.
O Silo possui 144 andares subterrâneos, nele as pessoas vivem como na nossa sociedade, cada um tem uma função e essas funções garantem a manutenção da vida no Silo.

A vida no Silo é restrita, sendo assim para uma pessoa nascer outra precisa morrer.
Os idealizadores do Silo implantaram a loteria, que é o direito de um casal ter filhos.
A loteria tem prazo de validade, após isso é proibido ter filhos.
As regras no Silo são duras, mas desobedecê-las é ainda pior. Quebrar regras significa ir para a limpeza.
A limpeza consiste em uma pessoa sair do Silo e limpar as lentes que transmitem imagens do exterior para o interior. O problema é que não há volta, uma vez fora do Silo, fica fora do Silo.
A limpeza é uma pena de morte, a forma que os idealizadores encontraram para dominar e oprimir a sociedade, eles usam o medo como forma de manipulação.
8. A Máquina do Tempo | H. G. Wells
A Máquina do Tempo: a mais espantosa das invenções, capaz de levar seu criador a uma viagem surpreendente através de milhares de anos de transformações sobre a Terra. Novos seres ocupando a superfície e as entranhas do planeta, vivendo numa incrível civilização do futuro, onde a luta pela vida é implacável. O final dos tempos e a agonia do sistema solar com o colapso de nossa estrela, prestes a explodir.
Uma história de aventura e emoções inimagináveis, esta obra também é uma reflexão sobre os valores de nossa sociedade e sobre o mundo que construímos hoje.
9. A Revolução dos Bichos | George Orwell
Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, "A Revolução dos Bichos" é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos
Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.
De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética.



10. Neuromancer | William Gibson
Um hacker renegado, uma samurai das ruas, um fantasma de computador, um terrorista psíquico e um rastafari orbital num thriller sexy, violento e intrigante. De Tóquio a Istambul, das estações espaciais ao não-espaço da realidade virtual, o tenso jogo final da humanidade contra as Inteligências Artificiais...
Evoluindo de Blade Runner e antecipando Matrix, Neuromancer é o primeiro - e ainda hoje o mais famoso - livro de William Gibson. É considerado não só o romance que deu origem ao gênero cyberpunk, mas também o seu melhor representante. Edição especial com nova tradução, nova capa e projeto gráfico, novo prefácio e notas explicativas.

Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

2 comentários :

  1. Socorrinho, anotei todas as dicas que ainda não tinha lido. Gosto muito desse gênero e com certeza aumentei minha lista de desejados nesse post. Obrigada <3

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou! Esse também é um dos meus gêneros favoritos <3
      Abs ^^

      Excluir