Maratona literária de inverno 2016 | Minha TBR

maratona literária de inverno 2016

Heeey terráqueos! Então, eu resolvi participar da Maratona literária de inverno proposta pelo canal Geek Freak, aeeeee!
A maratona literária começou hoje e calhou de começar quando eu iria iniciar a leitura de A Revolução dos bichos, que faz parte da minha meta de leitura 2016 e está há tempos encalhado na minha estante. Isso me animou para participar da maratona de inverno desse ano, pois o primeiro tema é "Encalhados" que consiste em ler livros que estão mofando na estante.
Então que os deuses literários me guiem nessa missão, amém! Vamos aos temas e às escolhas?

Semana 1 | ENCALHADOS
livros que estão na estante há mais de um ano, encalhados, mofando...


A revolução dos bichos | George Orwell
Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, "A Revolução dos Bichos" é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos.
Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética.

Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A Revolução Dos Bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto.

Inferno | Dan Brown
Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em "O Código Da Vinci", "Anjos e Demônios" e "O Símbolo Perdido" e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento.
No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri.

Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.


Semana 2 | HYPE
livros que receberam uma quantidade grande de promoção, que foi muito falado


Como eu era antes de você | Jojo Moyes
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.

Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.


A Guerra da Rainha Vermelha | Mark Lawrence
Sou um mentiroso, um trapaceiro e um covarde, mas nunca, jamais, irei decepcionar um amigo. A menos que, para não decepcioná-lo, seja preciso demonstrar honestidade, jogo limpo ou bravura. Assim se apresenta Jalan Kendeth, o neto da Rainha Vermelha e décimo na linha de sucessão ao trono. Um verdadeiro hedonista sem pretensões políticas, que se vê obrigado a abandonar sua boa vida após sofrer uma tentativa de assassinato. Para escapar, precisa se aliar a um perigoso guerreiro.
Mark Lawrence novamente cria um anti-herói irresistível. Por que mesmo estamos torcendo por eles? é uma pergunta comum entre os cada vez mais numerosos leitores de suas aventuras. A resposta, certamente, está no talento com que o autor conduz seus personagens e narrativas. E desta vez, a violência e o rancor de Jorg Ancrath, da Trilogia dos Espinhos, é substituída pela astúcia e charme do Príncipe dos Tolos.

Em comum, as duas trilogias dividem o mesmo cenário, um universo pós-apocalíptico e de inspiração medieval. Se você não via a hora de voltar ao Império Destruído, esta é sua chance, com esta nova saga do universo expandido da Trilogia dos Espinhos.


Semana 3 | Outros Mundos
livros que se passam em outros universos, planetas e/ou realidades



A vida, o universo e tudo mais | Douglas Adams
Após as loucas aventuras com seus estranhos amigos em O Guia do Mochileiro das Galaxias e O Restaurante no Fim do Universo, Arthur Dent ficou cinco anos abandonado na terra Pré-Histórica. Mesmo depois de tanto tempo, ele ainda acordava todas as manhãs com um grito de horror por estar preso àquela monótona e assustadora rotina.
Talvez Arthur até preferisse continuar isolado em sua caverna escura, úmida e fedorenta a encarar a próxima aventura para a qual seria forçosamente arrastado: salvar o Universo dos terríveis robôs xenófobos do planeta Krikkit.

Este é o terceiro volume da "trilogia de cinco" de Douglas Adams, um dos mas cultuados escritores de ficção científica de todos os tempos. Seu humor corrosivo e sua habilidade em criar situações improváveis tornam seus livros fundamentais para qualquer um que tenha capacidade de debochar de si mesmo.

Usando o planeta Krikkit como paródia da nossa sociedade e das guerras raciais, Adams cria uma história divertida, inteligente e repleta dos mais inusitados significados sobre a vida, o Universo e tudo mais.

O Ciclo das Trevas - O protegido | Peter V. Brett
"A fantasia épica mais significativa e cinematográfica desde O Senhor dos Anéis. Inspiradora, obrigatória e totalmente viciante!"
PAUL W. S. ANDERSON - criador e diretor da série Resident Evil

Ao cair da noite, eles surgem por todos os lados, famintos por carne humana, demônios de areia, de vento e até de pedra, conhecidos como terraítas. Depois de séculos, a humanidade definhou e se tornou refém da escuridão. Arlen, Leesha e Rojer, jovens sobreviventes, atrevem-se a lutar e encarar as trevas. O jovem Arlen recebe os ensinamentos de um mensageiro e descobre que o medo, mais que os demônios, é o mal a ser combatido. Leesha tem a vida destruída por uma simples mentira e se torna ajudante de uma velha e misteriosa ervanária. E o destino de Rojer muda para sempre quando um menestrel chega à sua vila com uma rabeca. Juntos, eles podem oferecer ao mundo uma última, e fugaz, chance de sobrevivência.
O impressionante universo criado por Peter V. Brett - que, assim como muitos de nós, foi educado com uma rígida dieta de romances fantásticos, HQs e Dungeons & Dragons - cativa e emociona o leitor, nos tornando parceiros e reféns de seu mundo e personagens. Peter constrói uma bela metáfora sobre o medo e como precisamos confrontá-lo todos os dias.


Semana 4 | Diversidade
livros com elementos ou personagens que representem diferentes costumes, culturas e/ou etnias



Antes que seja tarde | Matthew Cork & Kenneth Kemp
Há três mil anos, uma religião dominante tem estigmatizado como subumano mais de um terço da população indiana. Esse grupo, conhecido como dalit, os intocáveis, de acordo com estatísticas, estão entre 200 e 300 milhões – o correspondente a toda concentração populacional dos EUA. Essas pessoas são expostas à escravidão, ao tráfico para exploração sexual, à discriminação e extrema pobreza.
O livro Antes que seja tarde,escrito pelo pastor californiano Matthew Cork, descreve a triste realidade dos dalits, à qual ele teve acesso pela primeira vez em 2007, em uma viagem a Hyderabad, na Índia. Lá, ele foi impactado ao ver crianças esmolando no aeroporto; idosas varrendo sarjetas e famílias morando dentro de tubulações de cimento descartadas. Foi em Hyderabad que Cork conheceu as amarras sistemáticas às quais esse povo tem estado preso por milhares de anos.
Conforme ficava face a face com tal sofrimento, o pastor se convencia de que Deus o compelira a ajudar. Sabia que a maior esperança para os dalits reside na educação de seus filhos – algo por muito tempo a eles negado. Foi, então, que Cork se sentiu motivado a unir forças entre a sua igreja (Friends Church) e a Dalit Freedom Network (organização não governamental que luta pelos diretos dos dalits), a fim de construir 200 escolas ao longo de dez anos. Na obra, ele narra toda a trajetória e todos os esforços para livrar esse grupo tanto espiritual como socialmente.

Antes que seja tarde é uma narrativa cuja ideia é levantar a bandeira de libertação e restauração de um povo sofrido. “Mesmo os mais renomados autores encontram dificuldade em descrever o grave impacto dessa opressão monstruosa sobre a mente, o coração e a alma das vítimas do sistema de castas”, destaca, no prefácio do livro, o Dr. Joseph D’souza, presidente da Dalit Freedom Network.
Embora a obra trate da situação de um povo que habita a milhares de quilômetros dos brasileiros, a exploração sexual, a discriminação e a pobreza extrema são problemas que ocorrem com diversos povos no mundo todo, inclusive no Brasil. Por isso, esse material é uma maneira de levar a Igreja a atender o seu papel diante dessa dolorosa realidade, tendo como exemplo os dalits. “Todos os que se importam com liberdade, justiça, redenção, reconciliação e visão encontrarão, nestas páginas, encorajamento, motivação e direção. A causa do povo dalit inspira libertação por todo o mundo”, ressalta D’ souza.

Por meio deste livro, o leitor terá a oportunidade de conhecer, a fundo, o trabalho exemplar de Matthew Cork em parceria com a Dalit Freedom Network. “Ao longo dessa caminhada, quero compartilhar um relato inédito sobre a liderança corajosa, visionária e determinada que o Dr. Joseph D´souza e sua equipe realizaram e realizam até hoje. Deus está erguendo um exército de servos. Está acontecendo. A nação está mudando”, enfatiza Cork.

A jornada de Matthew Cork, descrita nessa obra, mudará seu modo de pensar e o conduzirá a um universo repleto de coragem, solidariedade e amor ao próximo. Antes que seja tarde é um convite – e um desafio – a unir esforços para levar liberdade e esperança aos que sofrem em todo o mundo. Por que não começar agora, antes que seja tarde?


A Resposta | Kathryn Stockett
Eugenia Skeeter Phelan acabou de se graduar na faculdade e está ansiosa para tornar-se escritora, mas encontra a resistência da mãe, que quer vê-la casada. Porém, o único emprego que consegue é como colunista de dicas domésticas do jornal local. É assim que ela se aproxima de Aibellen, a empregada de uma de suas amigas. Em contanto com ela, Skeeter começa a se lembrar da negra que a criou e, aconselhada a escrever sobre o que a incomoda, tem uma ideia perigosa: escrever um livro em que empregadas domésticas negras relatam o seu relacionamento com patroas brancas.
Mesmo com receio de prováveis retaliações, ela consegue a ajuda de Aibileen, empregada que já ajudou a criar 17 crianças brancas, mas chora a perda do próprio filho, e Minny, cozinheira de mão cheia que, por não levar desaforo para casa, já esteve por diversas vezes desempregada após bater boca com suas patroas. Uma história emocionante e estarrecedora onde a cor da pele das pessoas determina toda a sua vida. Um livro que, devido ao seu tema, chegou a ser recusado por quase sessenta editoras antes de ser publicado.

A história ganhou adaptação para o cinema, no Brasil com o nome "Histórias Cruzadas". O filme foi indicado ao Oscar em 2012 na categoria melhor atriz, melhor atriz coadjuvante e melhor roteiro adaptado.


Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

2 comentários :

  1. Oi, Francine!
    Adorei suas escolhas! Mas preciso admitir, é necessário coragem para ter escolhido livros tão grandes! haha. Conheço pouco dos citados, mas quero muito ler "A Guerra da Rainha Vermelha". "A Resposta" eu assisti apenas o filme. E posso dizer que é lindo! Tenho vontade de ler o livro também. Quando ler, me conta o que achou! O único da sua lista, que já li,foi o "Como Eu Era Antes de Você", do qual recentemente assisti a adaptação que ficou perfeita! Amo o livro ainda mais, não tem como, os livros são sempre melhores que os filmes... Acho que vais amar! Mas já aviso, pode haver uma ressaca!!! kk.
    Que a sorte esteja sempre à nosso favor e que o flop passe bem longe de nós! Amém. haha
    Mil beijokas linda! 💕
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ressaca? Nãoooo kkk
      Espero conseguir ler, eu fui um pouco louca ao escolher esses livros, já estou prevendo o flop haha
      Abs e que a sorte esteja sempre à nosso favor! <3

      Excluir