#10on10 | Cilada para um marquês, Sarah MacLean


“Felicidade! É esse o cheiro dos livros! Felicidade. Por isso que eu sempre quis ter uma livraria. Existe vida melhor do que vender felicidade?”

Sobre o livro

"De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.”

Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam

Minhas Impressões
Sarah MacLean nos presenteia mais uma vez com um romance de época divertido, picante e com uma protagonista forte, decidida e independente.
Percebi que todos os livros da Sarah MacLean possuem essa característica, que é louvável, mas que recorrente se torna um tanto quanto clichê.
Sophie Talbot tem uma péssima fama na alta sociedade londrina, ela é vista como uma irmã perigosa, após sua irmã fisgar um nobre para o casamento com um escândalo. Diferentemente do que a sociedade pensa, a última coisa que Sophie quer é um casamento e muito menos com um esnobe nobre londrino. 
Depois de se envolver em um escândalo, Sophie decide fugir de Londres e para o seu completo horror se vê em uma situação complicada, está na carruagem de Rei, futuro duque de Lyne, e ele pressupõe que ela tenha um plano escandaloso para levá-lo à força para o altar.
A partir daí temos diálogos afiados e situações cômicas e claro uma atração entre os protagonistas de tirar o fôlego. A química entre os dois é avassaladora e a personalidade forte de ambos faz com que um romance ao estilo de "tapas e beijos" ocorra.
A narrativa da autora é fluida, dinâmica e sem oscilações. Portanto prende o leitor do início ao fim. É um livro que pode ser lido em um dia. Os protagonistas possuem a marca de Sarah MacLean, portanto não espere algo muito diferente de seus outros romances.
No mais, indico a obra para quem gosta de romance de época com altas doses de cenas cômicas e protagonistas com personalidade forte.

Titulo: Cilada para um marquês | Autora: Sarah MacLean | Editora: Gutenberg | Páginas: 320 | Gênero: Romance de época | Edição: 8,0 | Narrativa: 7,0 | Desenvolvimento: 7,0 | Trama: 8,0

 NOTA: 7,5
Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

0 comentários :

Postar um comentário