#10on10 | Muito mais que uma princesa, Laura Lee Gurhke


"Sinto muito mesmo. Mas eu não poderia escolher nenhum outro. Eu não aguentaria dar a qualquer outro homem o direito de me tocar da forma como você me tocou." 

Sobre o livro
Filha ilegítima de um príncipe e de uma famosa cortesã, Lucia viveu confinada em escolas e conventos durante a maior parte de seus vinte anos. Mas a austeridade dos ambientes não a impediu de provocar um escândalo depois do outro. Exasperado, o príncipe Cesare de Bolgheri decide que a filha deveria se casar - e quanto antes. Controlar Lucia passaria a ser problema do marido. Para arranjar o casamento, Ian Moore, o mais respeitado diplomata britânico, é chamado às presas de uma missão na Anatólia. De volta à Inglaterra, ele promete a si mesmo que achará um marido para Lucia em poucas semanas, mas logo vê que sua experiência de diplomata talvez não seja suficiente para quebrar a resistência da moça. Apesar de não faltarem candidatos convenientes à nobreza e ansiosos para dividir o leito com uma jovem tão atraente, nenhum está à altura do espírito e da paixão de Lucia. Como convencer Lucia a casar-se por imposição do pai, e não por vontade própria? Será que algum acordo é possível quando é o amor que está em jogo? Sir Ian descobrirá que, muitas vezes, é mais difícil negociar com uma mulher do que com chefes de Estado.

Minhas impressões
Esse livro se tornou o meu favorito do gênero. Eu não tinha grandes expectativas para a leitura dessa obra, por isso ser surpreendida com um romance sensual, com diálogos picantes, uma protagonista decidida e um típico inglês, aparentemente, incorruptível me fez amar a obra.
O livro é narrado em terceira pessoa, sob a ótica dos protagonistas. A escrita da autora é viciante, daquelas que você não consegue largar até ler a última linha.
A história começa com Lúcia, filha ilegítima do príncipe Cesare com uma cortesã, Francesca. Devido ao seu temperamento forte demais para uma dama da época, Lúcia vive de um lado para o outro, até que é alocada na casa do pai. Diferente do que se esperava, Lúcia não aceita ficar trancafiada em casa. Em busca de aventuras ela se envolve em uma situação escandalosa que tem como agravante o fato de ter arrastado sua irmã junto.

Quando o príncipe Cesare descobre a escapulida de Lúcia, decide casá-la e encarrega um diplomata inglês, Ian Moore, para arranjar um pretendente para ela antes que o escândalo se espalhe.
Ian sente-se humilhado por ter que deixar assuntos políticos sérios de lado para negociar um casamento, além da tarefa ser muito abaixo da sua posição, ele tem que lidar com uma jovem geniosa, calorosa, sentimental e que está decidida a não entregar seu futuro nas mãos de seu pai e de Ian. Os dois chegam em um impasse, Lúcia quer tempo para encontrar um homem que possa amar e Ian não quer conceder esse tempo, ávido para encerrar o assunto e se dedicar à problemas mais sérios.

A autora nos insere na obra de forma avassaladora, com um romance intenso e envolvente. Os personagens são apaixonantes e por serem muito diferentes em personalidade enriquecem os diálogos. Enquanto Lúcia é ardente, impulsiva e passional, Ian é centrado, calculista e, aparentemente, frio.
Eu me diverti com as situações em que Lúcia colocou Ian, com o intuito de quebrar sua postura séria pedacinho por pedacinho. Me diverti mais ainda com as frustrações de Lúcia, ao acreditar que não atingia nenhum músculo de Ian, enquanto sabíamos que ele já estava no chão, ardendo pela italiana ousada e segura de si. A batalha de vontades dos dois é divertida e apaixonante.
Apesar de se tratar de um romance de época, o que sabemos que terá um final feliz, em alguns momentos eu não sabia qual seria o desfecho, o que me deixou alarmada com um possível final totalmente inesperado.
Muito mais que uma princesa é o meu romance de época favorito, portanto está super indicado para quem gosta do gênero.

Titulo: Muito mais que uma princesa | Autora: Laura Lee Gurhke | Editora: Essência | Páginas: 344 | Gênero: Romance de época | Edição: 8,0 | Narrativa: 9,0 | Desenvolvimento: 9,0 | Trama: 9,0


 NOTA: 8,7
Share on Google Plus

Sobre Francine Nunes

Quase química. Amante de livros, séries e filmes. Assim como o Cazuza, meus heróis morreram de overdose. Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.

0 comentários :

Postar um comentário