Destaques

Resenha Lolita, Vladimir Nabokov


"Pela manhã ela era Lô, não mais que Lô, com seu metro e quarenta e sete de altura e calçando uma única meia soquete. Era Lola ao vestir os jeans desbotados. Era Dolly na escola. Era Dolores sobre a linha pontilhada. Mas em meus braços sempre foi Lolita."

Sobre o livro
Lolita é um dos mais importantes romances do século XX. Polêmico, irônico, tocante, narra o amor obsessivo de Humbert Humbert, um cínico intelectual de meia-idade, por Dolores Haze, Lolita, 12 anos, uma ninfeta que inflama suas loucuras e seus desejos mais agudos.
A obra-prima de Nabokov, agora em nova tradução, não é apenas uma assombrosa história de paixão e ruína. É também uma viagem de redescoberta pela América; é a exploração da linguagem e de seus matizes; é uma mostra da arte narrativa em seu auge. Através da voz de Humbert Humbert, o leitor nunca sabe ao certo quem é a caça, quem é o caçador.

Minhas impressões
Eu estava a muito tempo postergando essa leitura. Colocava na minha meta de leitura do skoob ano após ano e nunca cumpria a meta. Até que esse ano eu baixei a lei: Vou ler Lolita em 2017 ou não me chamo Francine! Bem, com o perigo de mudar de nome desencalhei essa maravilha repugnante.
O tema do livro, como muito de vocês devem saber, é a pedofilia. O pior é que esse crime é contado na perspectiva do pedófilo, então as cenas questionáveis são amenizadas em todo o momento. Isso não significa que o protagonista narrador se isenta de culpa, diversas vezes ele recrimina o seu comportamento, porém não deixa de romantizar seus atos.
Um dos pontos positivíssimos do livro é a narrativa, meus caros, ela é deliciosa. Eu fiquei encantada com a escrita do Vladimir Nabokov, tanto que em muitos momentos me esqueci de que o tal de Humbert Humbert era um pedófilo nojento. E esse, é um dos perigos dessa leitura, pois a eloquência do narrador é tal que podemos nos pegar torcendo para ele.
Isso me lembrou Dom Casmurro do Machado de Assis, pois quando temos um narrador personagem ficamos a mercê da sua visão dos fatos e do que ele quer passar para nós, meros leitores. Ou seja, a verdade é mascarada conforme o intuito do narrador e nunca, nunca mesmo, saberemos o que aconteceu realmente.
Enfim, Lolita é uma obra asquerosa de se ler, mas ao mesmo tempo é maravilhosa por causa da escrita do autor.
Indico a obra para quem gosta de um drama bem escrito, que tem a capacidade de mexer com suas emoções, nesse caso as emoções são NOJO e FASCÍNIO, e que te deixe perplexo pós leitura.

Titulo: Lolita | Autora: Vladimir Nabokov | Editora: Record | Páginas: 272 | Gênero: Drama | Edição: 9,0 | Narrativa: 10,0 | Desenvolvimento: 10,0 | Trama: 10,0
NOTA: 9,7

Nenhum comentário

Litera Cult | Blog Literário © Copyright 2017. Tecnologia do Blogger.